Páginas

sexta-feira, 8 de março de 2019

Sai de Baixo - O Filme (2019)


As noites de domingo de 1997 a 2002 sempre ela embalada por um dos melhores programas de comédia da TV brasileira. Sai de Baixo era o que unia a família para terminar (ou começar) a semana na frente te dá Tv. Agora com roteiro de Miguel Falabella e direção de Cris D'Amato, a família chega a tela grande, com Sai de Baixo - O Filme.

Caco Antibes sai da prisão, onde estava por uma de suas artimanhas, e chega ao prédio para descobrir que sua família está dividindo um pequeno apartamento de zelador com Ribamar. Então a família precisa de um novo plano para conseguirem, finalmente, ficar ricos. O plano surge quando um prima de Magda os "contrata" para atravessar algumas pedras preciosas para fora do país, não vai ser problemas nenhum roubar essas pedras, já que como do Magda "ladrão que rouba ladrão, tem cem anos de peidão". Mas estamos falando da família mais desastrosa da TV brasileira, nada é simples.

Quem estava acostumado a ver Miguel Falabella nos palcos pode ter achado um pouco estranho vê-lo ali, na tela grande. É uma outra mídia e em relação ao que víamos na TV, a ausência da plateia causa um certo efeito, mas nada que atrapalhe a atuação dos atores. Falabella é afiado, capitaneia o elenco a todo momento. Enquanto Marisa Orth continua com suas sacadas que levam o espectador as gargalhadas, coisa simples, mas que funciona bem.

Antes de ir ao cinema, fiz questão de esquecer tudo o que Tom Cavalcanti fez depois da série na TV. Não precisei de muito esforço, já que não tinha gostado de nada daqueles programas ao estilo Show do Tom. Valeu a pena, gostei do trabalho dele no filme, dando mais animação com seus dois personagens. A adição de novos personagens também foi uma ótima escolha, dando mais dinâmica a história, segurando um tempo além do que era necessário na TV.

O que a diretora Cris D'Amato oferece é um filme com as melhores características de Sai de Baixo, contando com um elenco em entrosado. Nisso, não vejo problemas com a produção, no início fiquei com certo receio já que não trabalhariam apenas em um palco. Mas no fim tudo deu certo, valeu a pena assistir quase 30 minutos de comerciais e trailers antes da sessão começar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário