Berlin: Esquina Schörnhauser (Berlin: Ecke Schörnhauser, 1957)


Berlin: Esquina Schönhauser abriu a mostra "Imagens para o Futuro: a Alemanha Oriental no Cinema", no CCSP. A mostra exibi filmes produzidos pelo estúdio DEFA, que entre 1946 e 1990 realizou mais de 800 produções, sendo longa-metragens, curtas e documentários. O filme em questão foi lançado em 1957 e tem direção de Gerhard Klein.

Em uma esquina de uma Alemanha pós guerra se reúne um grupo de jovens rebeldes (suas ações podem parecer bobas e até cômicas comparadas ao que vemos hoje, mas levando em consideração a época e a situação do país, a vadiagem já era algo muito grave). Entre os jovens um quarteto ganha destaque, formado por Kohler, que através da força bruta é obrigado a entrar na linha por seu padrasto; Ângela, que se uniu ao grupo porque tinha que sair de casa enquanto sua mãe dedicava sua atenção ao amante; Dieter, talvez o mais responsável de todos (e o personagem principal), trabalha em uma obra, mas vi nele um jovem perdido, tentando achar o seu lugar; e por fim, Karl-Heinz, esse possui mais regalias que todos os outros juntos, mas vive entre um trambique ou outro, para ganhar uma grana extra.

As aventuras sempre começam com Dieter esperando Ângela para que possam encontrar o resto da turma, isso faz com que os dois comecem a ter uma relação mais próxima. Depois de uma noite de dança, toda a tranquilidade do grupo vai para o ralo e começa uma série de desventuras que colocam em cheque o relacionamento de todos eles.

O filme é curto, cerca de 80 minutos, e simples, se eu falar mais sobre ele estaria entregando toda a história. Mas posso garantir que vale a pena assistir, um filme rápido e que não exige muito do espectador, uma ótima opção para relaxar. Porém, em alguns momentos, alguns closes em Dieter, vi um pouco de Antoine Doinel (protagonista de 'Os Incompreendidos', 1959) no rapaz, talvez seja só uma falsa impressão, ou essa percepção que os diretores mostravam em seus filmes a busca de identidade de jovens que habitavam países em crise.

Comentários

Postagens mais visitadas